Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mOVIMENTO de hUMOR

Desenhos originais com um hUMOR que ou fazem pensar ou fazem ranger os dentes.

BORA FUGIR PARA A PROVÍNCIA ?

Gomes, 27.05.20

MH MAIO 2020-23.jpg

Não vale a pena! A província é um deserto. 

 

 A melhor maneira de combater o aquecimento global!

Defender o interior é ... a melhor forma de combater
a gripe chinesa!

Defender o interior é...a melhor maneira
de aumentarmos a qualidade de vida!

Amor a Portugal não é considerar
que apenas há Área Metropolitana de Lisboa (AML)
e Área Metropolitana do Porto (AMP).

Vamos lá ver com números do INE
A população do território português tem vindo a diminuir, mas na Área Metropolitana de Lisboa (AML) a população tem vindo a aumentar (dados de 2018).

A AML ocupa 3,3% do território português e tem cerca de 30% da população portuguesa.

Na Área Metropolitana do Porto (AMP) o cenário é idêntico ao de Lisboa: enquanto a população total diminui
na AMP aumenta. Grande Porto tem cerca de 10% da população total de Portugal.

No total 40% da população
engalfinha-se na Grande Lisboa e no Grande Porto.

Podemos comparar com os dados da CIM/RC (comunidade intermunicipal da região de Coimbra) com 19 municípios
e 3 distritos, com uma área de 4.336 km quadrados
e com uma população
(que tem vindo a decrescer)
de 460.000 habitantes.

Como é que poderia haver metro
(mesmo que seja um autocarro disfarçado de 'BUS') ?
Estão a ver a situação de um aeroporto para servir o Centro de Portugal ?

O senhor ministro do Ambiente chegou mesmo a fazer piadinha dizendo que ele nasceu numa aldeia
e que não pode haver aeroporto na sua aldeia.

Claro!

A teoria IDIOTA dos vários governos
que se sucederam é : de que se devem apoiar os centros
onde se junta mais população - pois é onde se encontram mais votinhos para acederem ao PODER.

Como escreveu Rui Tavares Guedes da revista VISÃO:
«Mais do que golpes de afeto ou de emoção, o Interior precisa que lhe falem verdade»

Faltam-nos com a VERDADE.

Neste artigo, Tavares Guedes, diz que o combate à desertificação do interior é meio-caminho-andado para os grandes problemas de Portugal. Concordo!

Só não concordo que não haja solução fácil.

Ver aqui: https://visao.sapo.pt/…/2019-11-28-o-interior-nao-precisa-…/

Uma das maneiras é baixar os custos
de portagem para o interior.
Outra a de INVESTIR no interior - dotando de mais escolas, hospitais, maternidades, postos dos CTT e delegações bancárias.

Ver o desequilíbrio neste artigo:
https://observador.pt/…/ha-24-concelhos-em-portugal-com-me…/

Como é que pode haver mais empresas em Portugal, se o interior reduz as agências bancárias - mesmo a banca do Estado (CGD)?

A secretaria de estado da valorização do interior encontra-se em Bragança e isso é a medida de descentralização para combater a desertificação?

Só juntos temos mais força.

Gomes
27/05/2020

2 comentários

  • Perfil Facebook

    José Augusto Gomes 29.05.2020

    Não só permito que comente,como agradeço que o faça.Bem haja pelo tempo do seu comentário. A realidade é bem mais triste no sul. Mas como bem sabe é injusto. Bragança não está mal, mas apenas comparando com as localidades em volta. Se comparar as condições da Área Metropolitana do Porto (grande Porto) com Bragança, Coimbra (donde eu sou) ou qualquer outra cidade é uma desgraça. Mas ainda é pior para todo o interior.
    Mas a injustiça maior está no constante investimento na grande Lisboa (que já tem uma enorme diferença com o Porto) e no grande Porto onde cada vez mais acumulam mais gente e entra no ciclo de maior investimento, mas também traz assaltos, insegurança (mesmo com o covid-19) problemas sociais, fome...ou seja um país cada vez mais desgovernado mas com cada vez mais gastos para ordenados dos governantes.
    Bem haja pelo seu comentário.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.