Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mOVIMENTO de hUMOR

Desenhos originais com um hUMOR que ou fazem pensar ou fazem ranger os dentes.

MINISTRO DO AMBIENTE, MATOS FERNANDES, NÃO DEVE SER COLOCADO NO LIXO RECICLÁVEL

Gomes, 17.06.20

MH JUNHO 20-14.jpg

O senhor ministro do Ambiente e Acção Climática,
Matos Fernandes, soltou mais uma anedota sem piada
(como a de mudar aldeias junto ao Mondego).

Desta vez disse em entrevista ao Porto Canal:
«Fundamental é as pessoas
não utilizarem máscaras
descartáveis. E já agora se as utilizarem
pelo menos que as ponham no lixo comum
e não as entendam como um material reciclável,
porque o crescimento do descartável,
seja em plástico ou não, não faz qualquer sentido»

Esta afirmação foi tirada da sua própria cabeça
sem consultar os especialistas - e para quê?
Este senhor é uma sumidade na asneira!

Vamos então ver por que razão é asneira:
1º Se não se pode usar máscara descartável
por que razão está no mercado? As medidas de um ministro depende apenas do que fazem os governados?
Por outro lado: por que razão os profissionais de saúde
usam as máscaras descartáveis?

2º Maior asneira: colocar as máscaras no lixo comum (também chamado lixo orgânico - por dever ser usado
apenas para lixo de cascas e restos de comida..orgânico).
Que graças à sua falta de capacidade de gestão,
esse lixo comum (o tal que deveria ser apenas orgânico)
está a ser colocado a céu aberto
(como exemplo o aterro do Sobrado - freguesia de Valongo; Azambuja onde chega a juntarem este tipo de lixo com o que Portugal importa);

3º Considera o senhor, que as máscaras que nos protegem, para que não aumente o número de infectados e não entupam os serviços hospitalares, são colocadas pelos profissionais de saúde em lixo para incinerar e não em lixo comum - por que será?

4º A falta de coragem deste senhor Matos Fernandes para poder afirmar que o governo não tem condições de criar novos ecopontos para incinerar as máscaras, descartáveis ou não e que acabam todas por ser colocadas em lixo.

Informação certa: as máscaras descartáveis
são feitas num material que se chama Tecido Não Tecido (TNT) este é feito de polipropileno (um plástico da categoria 5 dos recicláveis). Qualquer plástico tem um impacto bem maior do que o Vidro e se nós separamos o vidro do lixo comum
é absurdo colocar as máscaras.

Outro assunto que o senhor ministro Matos Fernandes se esqueceu: a RECICLAGEM DE PLÁSTICO EM PORTUGAL ESTÁ A SER UM FALHANÇO TOTAL POIS EM 2018 APENAS FOI RECICLADO 12% DO PLÁSTICO TOTAL DE PORTUGAL.

VER AQUI: https://sicnoticias.pt/…/2020-02-04-Reciclagem-de-plastico-…

E agora o senhor ministro que escreveu a carta à menina Greta a dizer que Portugal estava com boa política ambiental diz que as máscaras de plástico devem ir junto com lixo orgânico.

Mantenham-se alerta!

Gomes
17/06/2020

PORTUGAL IMPORTA LIXO ESTRANGEIRO MUITO MAIS BARATO DO QUE A MÉDIA EUROPEIA

Gomes, 08.06.20

MH JUNHO 20-7.jpg

A importação de lixo estrangeiro a troco de 11 (onze) euros
a tonelada, feito pelo governo português está muito abaixo
da média europeia que é de 80 (oitenta) euros a tonelada.

Portugal fica com os resíduos estrangeiros
pela bela soma de 11 euros a tonelada
sendo os maiores clientes estrangeiros o Reino Unido,
Itália e Países Baixos.
(https://www.rtp.pt/…/populacao-ja-nao-aguenta-o-cheiro-do-a…)

Os aterros de Valongo (freguesia do Sobrado), Azambuja e da Lousada (os que recebem mais lixo) estão em condições muito duvidosas. O presidente do Município de Valongo, José Manuel Ribeiro, afirmou que «(...) não é claro o que lá se deposita» mostrando que desconhece
o que é colocado no aterro do seu município
e o ministério do Ambiente não lhe dá informação.

Mas o senhor ministro do Ambiente, Matos Fernandes, garantiu que desde inicio de Maio 2020 o aterro do Sobrado (Valongo) deixou de receber resíduos do Reino Unido, Itália e Países Baixos (os maiores clientes).
(https://www.tsf.pt/…/aterro-de-valongo-sem-residuos-importa…)

O coronavírus teve um ataque maior em que mês
e em que países?

Talvez não seja nada de grave
e deve ser uma das medidas do governo
para combater as alterações climáticas (ou talvez não)

Só o aterro de Sobrado, em Valongo,
recebe mais de 280 toneladas de lixo, por dia,
proveniente de vários países da Europa
a 11 euros a tonelada é fazer as contas
(como dizia outro ilustre socialista preocupado
com o Ambiente Mundial)
e perguntar se esta é que é a "estratégia"
para o interior de Portugal do senhor Matos Fernandes.

Já teve aquela ideia peregrina de mudar as aldeias à beira Mondego, agora faz negócio com o lixo estrangeiro.

No dia do Ambiente o senhor ministro disse: «O ambiente tem de estar no centro da recuperação económica» - lá está!

Para verem que não inventamos nada e que a fonte é segura:
https://expresso.pt/…/2020-06-05-O-ambiente-tem-de-estar-no…

Ou seja no interior: nada de barragens,
aeroportos (o de Coimbra ou de Leiria - népias!)
e outras estruturas que tragam pessoas.
(https://observador.pt/…/nao-e-com-mais-barragens-que-se-re…/)
(concentrar aeroportos na grande Lisboa - https://www.dn.pt/…/aeroporto-montijo-cumprindo-as-exigenci…)

Para interior deve continuar a construirem-se aterros
para que Portugal continue a importar lixo a preço baixo.

Matos Fernandes, muito preocupado
com a sua imagem escreve carta à menina Greta
mostrando a preocupação com as alterações climáticas - parece que a importação de lixo estrangeiro
não tem nada a ver com isto da defesa da ecologia - nem a menina deve saber que Portugal importa lixo a preço muito baixo.
(carta de propaganda pessoal de Matos Fernandes : https://zap.aeiou.pt/matos-fernandes-escreve-greta-294580)

Será que a estratégia de Matos Fernandes
é acabar com as populações do interior
(Valongo não suporta o cheiro, as aldeias do Mondego deveriam ser deslocadas...) e em seu lugar fazer um gigante ATERRO PARA CONTINUARMOS A RECEBER LIXO ESTRANGEIRO AO PREÇO DE 0,011 euro o Quilograma?

O preço da banana é muito mais alto!!

Pode não ser esse o plano do senhor ministro do Ambiente,
mas está a criar condições para isso.

Portugal talvez tenha saído do "lixo" da dívida,
mas está enterrado em lixo europeu,
com tendência para ocupar o lugar da GRANDE LIXEIRA DA EUROPA.

É assim que se preocupa em combater as alterações climáticas?

Mantenham-se em segurança
e alerta para as manipulações.

Gomes
08/06/2020

A POBREZA É QUEM MAIS CUMPRE COM AS CONDIÇÕES DE COMBATE ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ?

Gomes, 04.06.20

MH JUNHO 20-4.jpg

O relatório da ONU (2019)
revela que há cerca de 1,3 biliões
de pessoas de 101 nações analisadas
que são consideradas “multidimensionalmente pobres”. Havendo um aumento de 500 milhões de pessoas
a viverem em condições sub-humanas.

(Ver o relatório aqui: https://news.un.org/pt/story/2019/07/1679661)

Parece que não tem nada a ver
com o combate às alterações climáticas.
Parece que até são situações diferentes
e quase estanques entre si.

Mas a questão que colocamos é esta:
- Se o combate às alterações climáticas
deve ser feito no mundo,
como explicar à maioria da população do mundo
(a que "sobrevive" abaixo das condições humanas - se juntarmos a pobreza acrescida com o covid-19 - os números saltam ainda mais) como podem ter práticas ecológicas?

Numa lógica de maldade e cinismo: as pessoas que lutam para sobreviver já fazem reciclagem,
já reduziram MUITO o consumo,
os alimentos com proteína animal são miragem.

Desculpem tanta maldade, mas é o que se apresenta.

A maior maldade
é ver o primeiro mundo
a reclamar de barriga cheia
e apenas a olhar para o seu umbigo.

Um dos símbolos mediáticos no combate
às alterações climáticas é Greta Thunberg que disse:
“Se os adultos se estão a borrifar para o meu futuro,
porque hei de ir à escola?”
A questão que não foi explicada na escola,
onde Greta anda, é que a maioria das pessoas
que no mundo lutam pela sobrevivência
estão MUITO piores e não vão mesmo colaborar com ela.

Iniciar uma luta para acabar com a pobreza
é uma prioridade maior - mas os professores
de Greta esqueceram-se de explicar isso.

A viagem que Greta fez para a
Cimeira do Clima da ONU (em 2019)
não serviu apenas para poupar o ambiente,
mas serviu também para consciencializar as pessoas
de que há alternativas ao avião
(evidentemente que estamos a falar de uma micro-minoria mundial dentro da minoria que tem posse para viajar
de avião).

A bordo do Malizia II,
a activista, o pai Svante,
o príncipe Pierre Casiraghi, que ia ao leme do iate,
Herrmann e uma equipa de documentaristas demonstravam que havia uma minoria,
dentro da minoria que pode pagar viagem de avião,
que até pode despender tempo
e dinheiro para viajar num iate.

(ver aqui: https://www.tsf.pt/…/greta-thunberg-cruza-o-atlantico-rumo-…)

Tomara a maioria das pessoas no mundo
ter duas refeições por dia.

Estas demonstrações de absoluto dispêndio
de verbas são prova de que só há rico se houver pobre.
Mas quem é rico tem saber que é melhor partilhar, se for obrigado a partilhar como na China (e países comunistas), quando têm poder
a primeira coisa que ambicionam
é tirar ao outro para terem mais.

Tal como a ideia de que é necessário haver pessoas
a fazerem o trabalho que não queremos
para os nossos filhos,
assim passam propaganda para nos manipularem.

A ecologia iniciou com mais força nos anos 70
e tinha como prática a Instrução e o desenvolvimento
de técnicas que continuassem
a produzir produtos a preços acessíveis
ao mesmo tempo que se reduzia o impacto na Natureza.

A prioridade talvez deva ser a de combater
as condições sub-humanas em que vivem pessoas,
na nossa rua, cidade, região, país e mundo.

Se as pessoas não forem remetidas a gente de segunda,
há mais inteligência para potencialmente se resolver
o problema da ecologia e de pandemias.

Fiquem em segurança
e aproveitem para questionar.

Gomes
04/06/2020