Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mOVIMENTO de hUMOR

Desenhos originais com um hUMOR que ou fazem pensar ou fazem ranger os dentes.

MAIS VALE SUSTENTAR UM BURRO A PÃO DE LÓ DE VALE DE CAMBRA !

Gomes, 11.07.22
 

MH-711-07-2022.jpg

 
 
«Os fogos no interior, devem-se ao Oxigénio.»
«O Bacalhau à Brás é o maior culpado pelo entupimento das urgências de saúde no Verão.»
«Os médicos é que são uns cobardes.»
São só algumas “pérolas de sabedoria”
com que nos tem brindado o Governo de António Costa.
 
O interior longínquo de Portugal...perdão, de Lisboa, é muito mais difícil de satisfazer e, talvez por isso, Costa quer juntar todos num recinto.
 
Fazer sair as pessoas das aldeias para defenderem o ambiente ecológico numa grande cidade.
Um plano político que a Ministra da Saúde eleita por Coimbra, Marta Temido, segue à risca. Como é de esperar por ter tanta proteção de Costa.
 
Deixar o interior de Portugal completamente vazio de pessoas. Poupando-se no esforço para apagar incêndios e para reduzir Centros de Saúde. À semelhança do que já aconteceu com os postos de Correios, Caixa Geral de Depósitos (que deveria ajudar a banca a chegar ao interior), Tribunais e demais instituições que chamam gente.
A verdade é que as tarifas cobradas nas estradas portuguesas que nos levam ao Interior também são proibitivas! Provando que a estratégia socialista é mesmo concentrar mais gente nas duas mega cidades portuguesas.
O CDS-PP de Vale de Cambra é que não foi na estratégia de António Costa e, sem medo de represálias socialistas, fez uma moção de protesto onde foram fechados os centros de Saúde abrangendo 40 aldeias.
 
O que é grave é que estas populações estão sem médico há mais de um mês.
 
Com votos de apoio do PSD e PS o CDS-PP de Vale de Cambra enviou a moção ao Presidente da República, Primeiro-Ministro, Ministra da Saúde, Área Metropolitana do Porto, grupos parlamentares da Assembleia da República, Administração Regional de Saúde do Norte e Agrupamento de Centro de Saúde Aveiro-Norte.
O CDS-PP de Vale de Cambra reclama a "normalização dos serviços" prestados pelos dois polos - dirigidos a uma população que é de 2.000 utentes, na sua esmagadora maioria pessoas idosas, durante a maior parte do ano e que duplica nos meses de verão e Natal com o regresso dos emigrantes.
 
Será que o Governo de António Costa não se apercebe que um interior mais abandonado ajuda a que haja mais incêndios ?
 
Entretanto, já recebemos mais de 4 mensagens da Aviso PROCIV para não fazermos fogos nos espaços rurais. 😃
Assinado pelo Primeiro-ministro desta nação que não se cala que é o Movimento de Humor, José Gomes

SÓ DÁ PARA LAMBER AS FERIDAS QUANDO NÃO SE TEM HOSPITAL, NEM BANCO, NEM ESCOLAS...

Gomes, 05.08.20

MH AGOSTO 20-04.jpg

 

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, afirmou que, "mais do que lamber as feridas", compete ao país reagir perante as consequências da pandemia.

O país - o Governo mais caro é que não!
Reaja o povo que a malta só quer receber o ordenado!

Mas não temos só consequências da gripe chinesa.

O interior de Portugal tem vindo a perder bancos
(a banca do Estado a Caixa Geral de Depósitos é a primeira a sair do interior);
Hospitais,
Maternidades,
escolas,
polícia...o interior está completamente abandonado.

Agora a senhora diz que a sua secretaria do Turismo
não tem nada a ver com isso.

Ou seja: a organização do GOVERNO DE ANTÓNIO COSTA E APOIADO PELO BE E CDU NÃO TEM ORGANIZAÇÃO NENHUMA.

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, (o presidente do municipio de Coimbra e presidente da ANMP está caladinho)
voltou a relembrar a necessidade de construir esta via rodoviária de ligação a Espanha, tal como o fez o alcaide
de Moraleja, César Herrero, e a própria conselheira da Junta da Extremadura (Espanha) para a Cultura, Turismo e Desporto, Nuria Flores Redondo.

Ver aqui: https://observador.pt/…/mais-do-que-lamber-as-feridas-comp…/

Ops!

Turismo no interior deve ser feito pelos imensos elementos
do governo socialista para verem o que andam a fazer pelo interior.

Mantenham-se alerta.

Gomes
05/08/2020

BORA FUGIR PARA A PROVÍNCIA ?

Gomes, 27.05.20

MH MAIO 2020-23.jpg

Não vale a pena! A província é um deserto. 

 

 A melhor maneira de combater o aquecimento global!

Defender o interior é ... a melhor forma de combater
a gripe chinesa!

Defender o interior é...a melhor maneira
de aumentarmos a qualidade de vida!

Amor a Portugal não é considerar
que apenas há Área Metropolitana de Lisboa (AML)
e Área Metropolitana do Porto (AMP).

Vamos lá ver com números do INE
A população do território português tem vindo a diminuir, mas na Área Metropolitana de Lisboa (AML) a população tem vindo a aumentar (dados de 2018).

A AML ocupa 3,3% do território português e tem cerca de 30% da população portuguesa.

Na Área Metropolitana do Porto (AMP) o cenário é idêntico ao de Lisboa: enquanto a população total diminui
na AMP aumenta. Grande Porto tem cerca de 10% da população total de Portugal.

No total 40% da população
engalfinha-se na Grande Lisboa e no Grande Porto.

Podemos comparar com os dados da CIM/RC (comunidade intermunicipal da região de Coimbra) com 19 municípios
e 3 distritos, com uma área de 4.336 km quadrados
e com uma população
(que tem vindo a decrescer)
de 460.000 habitantes.

Como é que poderia haver metro
(mesmo que seja um autocarro disfarçado de 'BUS') ?
Estão a ver a situação de um aeroporto para servir o Centro de Portugal ?

O senhor ministro do Ambiente chegou mesmo a fazer piadinha dizendo que ele nasceu numa aldeia
e que não pode haver aeroporto na sua aldeia.

Claro!

A teoria IDIOTA dos vários governos
que se sucederam é : de que se devem apoiar os centros
onde se junta mais população - pois é onde se encontram mais votinhos para acederem ao PODER.

Como escreveu Rui Tavares Guedes da revista VISÃO:
«Mais do que golpes de afeto ou de emoção, o Interior precisa que lhe falem verdade»

Faltam-nos com a VERDADE.

Neste artigo, Tavares Guedes, diz que o combate à desertificação do interior é meio-caminho-andado para os grandes problemas de Portugal. Concordo!

Só não concordo que não haja solução fácil.

Ver aqui: https://visao.sapo.pt/…/2019-11-28-o-interior-nao-precisa-…/

Uma das maneiras é baixar os custos
de portagem para o interior.
Outra a de INVESTIR no interior - dotando de mais escolas, hospitais, maternidades, postos dos CTT e delegações bancárias.

Ver o desequilíbrio neste artigo:
https://observador.pt/…/ha-24-concelhos-em-portugal-com-me…/

Como é que pode haver mais empresas em Portugal, se o interior reduz as agências bancárias - mesmo a banca do Estado (CGD)?

A secretaria de estado da valorização do interior encontra-se em Bragança e isso é a medida de descentralização para combater a desertificação?

Só juntos temos mais força.

Gomes
27/05/2020