Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mOVIMENTO de hUMOR

Desenhos originais com um hUMOR que ou fazem pensar ou fazem ranger os dentes.

TIRANIA ESCONDIDA DE RABO DE FORA!

Gomes, 21.12.21

MH DEZEMBRO 14-21-21.jpg

A tirania do “politicamente correto”
(ou da verdade incontestável de um comité central)
colocou as garras de fora na Europa pela mãozinha papuda de Helena Dalli, Comissária para a Igualdade,
mas rapidamente voltou a esconder intenções de criar um mundo todo igual.
Onde cada pessoa se deve dissolver numa sopa idêntica à União Soviética - sem religião nem pensamento crítico. Usar "queridos colegas" em vez de "senhoras e senhores"; perguntar o pronome antes de abordar alguém; usar o termo “festividades” em vez de “Natal”, evitar o uso de palavras como “chairman”; o The Guardian soube que uma das propostas passava por abolir o termo “Natal” — usando-se, em vez disso, a palavra “festividades”. “Nem toda a gente celebra os feriados cristãos e nem todos os cristãos celebram-nos nas mesmas datas”, lia-se no texto.
Helena Dalli, voltou atrás e recolheu as garras da sua mão papuda apesar do apoio europeu da holandesa Sophie in ’t Veld, que disse que estava preocupada com o facto de Helena Dalli ter voltado atrás.
A União Europeia não pode ser transformada na Nova União Soviética com aspirações a um único pensamento de um qualquer Karl Marx interpretado por um qualquer Estaline.
A União Europeia é um conjunto diferente e diferenciado de pensamentos e culturas, não um caldo vermelho feito com o sangue de quem pensa diferente do Internacional Comunismo “Politicamente Correto”.
A Europa é um continente Cristão, defensor do Livre Pensamento e nada o pode abalar.
Helena Dalli nunca leu Erasmus!
Nem a Tirania do “Nacionalismo” nem a Tirania marxista da “Internacional Comunista”, o pluralismo é a grande estrela guia da Europa.
Estar contra a dissolução do pensamento numa sopa vermelha não é estar do lado, igualmente raivoso, da Tirania do Ferro Fascista. A História da Europa sabe bem dos crimes dos dois lados e conhece a queima de livros nazi bem como da destruição soviética de tudo o que não era marxista.
Vamos celebrar o nascimento da esperança na Humanidade com fé em Deus ou sem ela.